Avizinham-se mudanças no mercado LED

Avizinham-se mudanças no mercado LED

Avizinham-se mudanças no mercado LED

Se excetuarmos o mercado doméstico do LED (lâmpadas), o resto das luminárias (campânulas, projetores, rodoviárias, etc.) são fabricadas, na sua maior parte, com alumínio. Isto quer dizer que a flutuação do preço deste material irá afetar de forma notória o custo de produção das luminárias LED profissionais.

Outro elemento-chave que determina o custo de produção das luminárias LED é o comportamento do Dólar dos Estados Unidos (USD). Isto deve-se a dois motivos:

Primeiro. Porque a moeda de cotação nos mercados financeiros do Alumínio é o USD. Se o USD sofrer uma desvalorização, com os mesmos USD irá poder comprar menos Alumínio.

Segundo. Porque o principal produtor e exportador de iluminação LED do mundo é a China. A moeda de referência (na qual cobram as fábricas na China quando exportam) é o USD. Se cobrarem em USD e o USD sofrer uma desvalorização, de cada vez que forem comprar material, irão poder comprar menos material e cada vez que trocarem esses USD em Yuans Chineses (CNY), a sua moeda local, para pagar salários, rendas, etc., irão ter menos CNY, pelo que o seu lucro irá baixar.

 Isto quer dizer que, se o preço do Alumínio subir e o preço do USD baixar, o custo da produção das luminárias LED subirá.

E o que está a acontecer com o Alumínio e o USD?

Alumínio
A regulação contínua da China em relação à sua indústria de alumínio está a ter um impacto de longo alcance sobre o preço das ações dos seus principais fabricantes, o que resulta num mercado mundial mais ajustado e num aumento dos preços.

Durante o princípio do mês de agosto, o Alumínio desfez todas as resistências e situou-se acima dos 2000 pontos, consolidando uma subida de cerca de 18,97% desde o princípio do ano.

Os peritos consideram que a tendência é ascendente, pelo que preveem que o preço continue a subir.

Dólar dos Estados Unidos (USD)
O dólar dos Estados Unidos continuou a mostrar debilidades este ano, sobretudo desde junho.

O câmbio Dólar dos Estados Unidos (USD) e Yuans Chineses (CNY) baixou de 6,9640 no início do ano para 6,6636 em agosto, 4,3% menos. Ou seja, por cada venda realizada por uma empresa chinesa cobrada em dólares, o seu lucro é 4,3% menor.

Em consequência, as margens atuais na produção, a tendência ascendente de materiais como o Alumínio e a desvalorização do Dólar dos Estados Unidos deixam prever que as luminárias LED irão sofrer um aumento de preço no mercado internacional nesta última parte do ano.

Carlos Caballero Ramajo
CEO Ilumia

Deixe um comentário

Your email address will not be published.